CAIPIRAPURU mostrou mais uma vez que é uma festa patrimônio de todos os irapuruenses

Irapuru viveu no final do ano, mais um Caipirapuru, evento que tem como objetivo preservar a música raiz, através de um encontro com violeiros e cantadores. Teve seu início no centro da cidade, na Euclides da Cunha, tendo como palco a carroceria de um caminhão e, hoje apresenta a sua 17.a versão. Os artistas que se apresentam, são oriundos das mais diferentes regiões do estado de São Paulo, com presenças também de outras regiões do país.
A festa foi idealizada e organizada pelo médico Júlio Santin, por 15 anos consecutivos, que contava com apoio de vários companheiros, representados pela ONG Caipirapuru. Grandes nomes da música raiz já desfilaram pelos palcos do Caipirapuru e, muitos não conheciam Irapuru, nas declararam uma paixão pela cidade, pela forma como sempre foram recebidos em cada evento.
Nos últimos dois anos, a organização do Caipirapuru passou a ser de um grupo de irapuruenses, tendo seus integrantes sempre fazendo partes das comissões anteriores. Por esta razão, não encontraram dificuldades em conduzir os trabalhos e assim, o sucesso seria inevitável. Mesmo com a ameaça de chuvas durante todas as noites, a festa aconteceu com tranquilidade e sem qualquer incidente.
A festa teve responsabilidade de uma comissão presidida pelo empresário Ademar Calegão, mais conhecido popularmente como Mazinho. Como vice prefeito do município, ele demonstrou grandes conhecimentos em administrar um evento. Da comissão, também fez parte o vereador Cesar Delgado, nas funções de tesoureiro, além de muitos outros nomes que colaboraram com afinco na execução de todos os trabalhos.
O cordelista Renato de Jesus, da Caipirarte, que da mesma forma integrou as comissões anteriores, desde o início do Caipirapuru, também esteve presente na comissão. O 17.o Caipirapuru teve apoio do Executivo e Legislativo, além das colaborações financeiras de várias empresas e irapuruenses, incluindo até mesmo o Lions Clube de Irapuru Caçula através de sua Comissão de Cultura, uma vez que a festa representa uma ação pela preservação da cultura caipira.
Em todas as noites foram prestadas homenagens a pessoas que sempre estiveram ligadas ao Caipirapuru, destacando-se Eujácio Rocha e também dois importantes nomes que estavam presentes a todos os momentos as organizações das versões anteriores, Mauro Silva e Izabel Brumatti Delgado. Ambos já não estão entre nós.
Dentre os nomes que se apresentaram, destaque para a ultima noite, o declamador Marcos Antonio Vasconcelos, o popular Pacaembu. Ele é empresário em Dracena e proprietário do Restaurante Bambu. Além deste, a presença de uma das maiores violeiras do Brasil, Juliana Andrade, que arrebatou aplausos de todo o público

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *